domingo, 21 de agosto de 2011

Cuidados de higiene na enfermagem.


1-HIGIENE INDIVIDUAL E COLETIVA

Inicialmente, discorremos sobre os princípios meios de que dispomos para ter ou manter uma saúde adequada, tanto individual como coletivamente, segundo uma perspectiva que privilegia saúde d coletividade. Muitas pessoas acreditam que para se ter saúde basta manter uma boa alimentação e evitar vícios que afetam o organismo. Outras, que a saúde depende de acesso a bons serviços de prestação de assistência pública ou privada. Apesar de esses fatores e muitos outros, em conjunto serem indispensáveis para alcançarmos condições ideais de vida com saúde, faz-se necessário ressaltar que a higiene é um dos mais importantes para assegurar tais condições.
Quando nos referimos a higiene, falamos não apenas da individual, no dia-a-dia, como tomar banho e escovar os dentes. Além dessas ações, voltadas para o cuidado e preservação do corpo, todas aquelas direcionadas à manutenção da saúde mental também integram o que denominamos higiene pessoal. Nessa perspectiva, o homem deve ser orientado a buscar uma vida equilibrada, reconhecendo, porém, que a saúde física e mental depende de ações tanto individuais como coletivas. No nível das ações individuais, para que as pessoas optem por adotá-las, faz-se necessário que saibam de sua importância e tenham condições de utilizá-las. Daí a relevância da educação e orientação para a saúde transmitida nas esferas familiar, cultural e das ações governamentais.
Considerando-se o permanente inter-relacionamento do homem com os seus semelhantes e o meio ambiente, amplia-se sua responsabilidade no campo da higiene. Assim, ao nos referimos à higiene e sua relação com as condições de saúde da população não podemos pensar apenas na dimensão da responsabilidade individual. Conseqüentemente, o conceito de higiene deve incorporar a dimensão social, que abrange os fatores econômicos e politicos, redundando na responsabilidade governamental.

2-RESPONSABILIDADE PESSOAL  X  RESPONSABILIDADE GOVERNAMENTAL


Visando elucidar os limites que determinam o que, em termos de higiene, corresponde às responsabilidades pessoais e governamentais, utilizaremos uma exemplificação pertinente à alimentação.Todos sabem a importância das verduras, legumes e frutas.No nível pessoal, ao decidir comer um tomate você o lavará antes de acrescentá-lo a sua salada, bem como as mãos antes de fazer a refeição.Embora você tenha sido cuidadoso, isto de nada adiantará se medidas de responsabilidade governamental não tiverem sido anteriormente tomadas. Por exemplo: o tomate, tão cuidadosamente lavado, pode conter agrotóxico. Caso o governo não tenha estabelecido uma política de controle de pesticidas; e a água pode não ter sido adequadamente tratada se não houve investimentos na rede de abastecimento de sua cidade ou bairro. Outro exemplo significativo que permite a observação dos limites que diferenciam a responsabilidade pessoal da governamental, no tocante á higiene, é a fiscalização de restaurantes, bares e lanchonetes.Esses estabelecimentos servem alimentos largamente consumidos pela população.Por isso, além de sofrerem a "fiscalização" do consumidor- que pode denunciar, optar por comer em outro lugar, etc. -, devem ser fiscalizados pelo governo, a fim de que cumpram as rigorosas medidas de higiene necessárias para evitar doenças.As responsabilidades dos governos federal,estaduais e municipais estendem-se aos âmbitos da educação e cultura, e à adoção de políticas públicas voltadas para o investimento nas areas de saúde e meio ambiente.

3-SAÚDE, MEIO AMBIENTE E EDUCAÇÃO

Ao falarmos em educação, saúde e meio ambiente não podemos nos esquecer de que o Brasil é um país com profundas desigualdades sociais.Essas diferenças dificultam sobremaneira o planejamento e execução de ações voltadas parava melhoria de nossas vidas.
Cada região-estado possui uma realidade especifica problemas peculiares e até dentro de um mesmo estado podemos encontrar situações bastante divergentes. Um exemplo que mostra a singularidade de cada cidade ou estado é o destino dado ao lixo. Nas grandes cidades há um recolhimento diário e, talvez, tratamento adequado. Quando, porém, as referencias são os pequenos municípios do interior do país ou bairros periféricos das capitais, a realidade é outra. O quadro que se revela é o de total irresponsabilidade dos governantes e de desconhecimento, desinformação, da população.
Atualmente, tornou-se lugar-comum a critica ao fato de o Brasil não cuidar cuidadosamente de seu meio ambiente.Critica-se, também, o constante descaso com a saúde das pessoas.No entanto, a maior falta de compromisso tem sido com a educação -  através da qual o homem pode alcançar a condição de participante do processo de construção social, passando a interferir e contribuir na realidade na qual esta inserido.Infelizmente, ainda há relevante número de analfabetos e ou semi-analfabetos em nosso país, os quais, geralmente, convivem não apenas com esse obstáculo, mas também com precárias condições de moradia e salários que mal os mantém.Conseqüentemente, tais limitações lhes prejudicam sobremaneira os acessos as informações que poderiam proporcionar-lhes melhorem noções de proteção a saúde e ajuda no desenvolvimento de seu trabalho e estilo de vida.Os programas de prevenção de doenças não podem destinar-se apenas às campanhas de vacinação e à orientação individual, pois pensar em saúde exige uma compreensão mais ampla.Pensemos por exemplo, em uma doença bastante comum em nosso país- a esquistossomose.Sua abordagem nos possibilita compreender o afetivo inter-relacionamento das áreas de saúde, meio ambiente e educação.
Atualmente, esquistossomose ainda é um dos graves problemas de saúde no Brasil, sendo considerada endêmica em algumas regiões. Apenas de previnivel, ainda há diversas dificuldades e barreiras historicamente construídas. Grande parte dos brasileiros não tem acesso à rede de esgoto.Assim, fazem sua necessidades à beira dos rios ou em sanitários improvisados, cujo esgoto corre a céu aberto.Associe-se esse hábito ao fato de muitos rios e lagos brasileiro conterem o caramujo- o hospedeiro intermediário do Shistosoma mansoni, agente causador da doença -  e veja- se a extensão do problema.O simples ato de tomar banho em um rio, para se refrescar do calor ou se divertir com os amigos, passa  constituir um risco potencial de adquirir a esquistossomose.Em vista da grande dificuldade de atendimento e acompanhamento nos serviços de saúde, muitas pessoas convivem com a doença sem receber tratamento adequado e quando conseguem acesso a um hospital, geralmente apresentam graves seqüelas.Essas considerações ressaltam que a relação saúde e meio ambiente é tão estreita que não se pode pensar que a formação do(a) auxiliar de enfermagem- ou de qualquer outro profissional da área de saúde - atenha se apenas ao ensino de conteúdos específicos.
Como podemos perceber, através deste conhecimento especifico amplo o profissional de enfermagem passa a ter grande responsabilidade em relação à prevenção de doenças e á manutenção da saúde das pessoas da comunidade em que vive ou do local onde trabalha- que inclui tanto as ações diretamente relacionadas ás doenças propriamente ditas quanto aquelas de caráter mais geral.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário